• 0_0_pmkt_janeiro_1300x495px.jpg
  • 0_1_banner_revisa_blog.jpg
  • 0_2_blog_facaparte.jpg

Cooperativas do DF oferecem consignado para servidores do GDF

A partir de agora, os servidores do Governo do Distrito Federal (GDF) têm acesso a crédito consignado em três cooperativas de crédito do Distrito Federal por meio de convênio firmado, em dezembro de 2012, entre o GDF, o Banco de Brasília (BRB) e as cooperativas. A parceria vai permitir que, aproximadamente, 205 mil profissionais, que recebem diretamente do GDF, possam optar por fazer seus empréstimos consignados nessas instituições.

Até então, o BRB tinha exclusividade para oferecer o crédito consignado para servidores do governo. Para o presidente do Sicoob Central DF, José Alves de Sena, a parceria trará benefícios para o servidor público, que poderá escolher insituições financeiras com taxas e juros menores, além de oferecer todos os demais benefícios de um sistema cooperativista de crédito. “O convênio é um importante passo para a expansão do setor na região. O crédito consignado é um mecanismo que possibilitará o fortalecimento das cooperativas de crédito do Distrito Federal”, diz.

O convênio já está em vigor e o servidor que tiver interesse em solicitar o empréstimo deve se associar às cooperativas conveniadas. Das três cooperativas, duas são filiadas ao Sicoob: Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal (Credsef) e Cooperativa dos Servidores da Área de Saúde e de Ensino no DF (Sicoob CrediDF).

Associados Sicoob no ES recebem R$ 21,2 milhões

No Espírito Santo os associados Sicoob começam o ano com uma boa notícia: o capital social que cada um deles mantém na instituição financeira foi remunerado em 8,49%, o que representa um total de R$ 21,2 milhões.

O capital social é um pequeno depósito realizado quando as pessoas ou empresas abrem suas contas em uma cooperativa de crédito. Segundo o diretor-executivo do Sicoob ES, Francisco Reposse Junior, o percentual equivale a 100% da taxa média Selic (taxa básica de juros estabelecida pelo Banco Central) acumulada de 2012. “O Sicoob paga essa remuneração para estimular os associados a ampliarem o capital social, que é a principal fonte de recursos de uma cooperativa de crédito, pois serve de base para todas as operações realizadas pela instituição financeira”, explicou.

Valorização

Francisco Reposse destacou que a remuneração do capital social é praticada desde 2007, sendo válida para as cooperativas filiadas ao Sicoob no Estado, às quais são associadas 130.444 pessoas físicas e jurídicas. “Essa política foi adotada visando à valorização do capital dos correntistas. Todos estes anos remuneramos à taxa máxima permitida pela legislação”, informou.

Com essa medida, de acordo com o presidente do Sicoob ES, Bento Venturim, a instituição financeira está reconhecendo a importância da participação dos sócios no crescimento da instituição. “Além da distribuição dos resultados, esta é mais uma vantagem para quem mantém o capital na cooperativa”, ressaltou.

Diferenciais

O empresário Everton Arnsholz, associado que atua no setor de construção civil, disse que a remuneração do capital social foi um dos diferenciais do Sicoob que influenciou na sua decisão de abrir a conta na cooperativa. “O dinheiro que investimos no Sicoob tem um bom rendimento”, afirmou Arnsholz, que também destacou o tratamento personalizado oferecido pela instituição.

Para a empresária Camola Alvarellos, que atua no comércio de Vitória, o pagamento de juros ao capital é um dos principais atrativos do Sicoob e um incentivo à movimentação financeira na cooperativa de crédito. “Tenho conta em outras instituições, mas procuro trabalhar mais com o Sicoob, pois sei que, quanto mais negócios mantenho com a cooperativa, maior será o meu lucro ao final do exercício”, frisou.

Fonte: Com informações da Vera Caser Comunicação

Sicoob Credip entre as melhores empresas pelo segundo ano consecutivo

Pelo segundo ano consecutivo, a cooperativa Sicoob Credip está entre as 150 empresas do Guia Você S/A “AS MELHORES EMPRESAS PARA VOCÊ TRABALHAR”. O guia é uma vitrine para as empresas ampliarem sua visibilidade nacional frente ao setor em que atuam, aos parceiros em potencial e aos profissionais qualificados com maior facilidade. Mais do que isso, esta conquista afirma o quanto o ambiente da cooperativa é agradável aos seus colaboradores, uma vez que são estes que a elegeram entre as melhores.

A cooperativa foi constituída em 1996, com 53 cooperados e inaugurada em 1998. Atualmente, conta com mais de 13.500 cooperados que recebem atendimento em 21 pontos no estado de Rondônia. Além disso, a instituição faz parte do maior sistema de cooperativas de crédito do país, o que amplia o portfólio de produtos e serviços disponíveis para o cooperado.

O prêmio significa a solidez da cooperativa enquanto modelo organizacional e a união de esforços dos colaboradores que se mostram, a cada dia, mais empenhados e orgulhosos de sua empresa.

Projeto "A Arte de Reciclar" da Escola EMEB Arizona de Jacinto Machado tem apoio do Sicoob/SC Credija

Reutilizar o papel usado e transformá-lo em novas folhas de papel, capas de livros, caixas, cartões e tudo o que pode ser feito com o papel comum. Esse é o principal objetivo do projeto “A Arte de Reciclar” realizado pela Escola de Educação Básica Arizona de Jacinto Machado.  A escola é parceira do Sicoob/SC Credija no programa Cooperjovem. Todo o papel descartado na Credija, após picotado, vai para a reciclagem na escola.

O projeto surgiu há dois anos por uma necessidade, "devido à quantidade de papel usada pelos alunos ser muito grande e a reciclagem ser um processo simples e rápido, a alternativa de reaproveitá-lo tornou-se muito viável", explica a diretora da escola, Cristiani Mezzari Tonetto. A diretoria do Sicoob/SC Credija também despertou para essa ação, "nos últimos dois anos, estamos nos preocupando muito com a questão social e ambiental, estes dois fatores, junto com o econômico, é que dão a sustentabilidade para a cooperativa", ressalta o presidente do Sicoob/SC Credija, Wolni José Walter.

Todo o processo é feito por alunos e professores. Depois de picotado na Credija, o papel é levado para a escola, posto no molho e triturado em um liquidificador industrial. Em seguida, põe-se nas telas e coloca-se para secar. Depois de seco, retira-se das telas, repara-se as laterais e leva-se para o processo de confecção dos materiais.

O papel que antes iria para o lixo, agora retorna à sociedade, poluindo menos o meio ambiente e poupando muitas árvores. "A escola orgulha-se em poder reaproveitar o papel" destaca a diretora Cristiani. Esta também é a sensação dos colaboradores da Credija, neste sentido, a parceria entre escola e cooperativa é fundamental para o sucesso desta ação, "acima de tudo, este projeto estimula o trabalho em equipe através da cooperação entre professores, alunos e colaboradores da Credija na conscientização da preservação da natureza", finaliza o presidente Wolni.

Digitalização de documentos rende prêmio ambiental à Sicoob Blucredi

Durante a programação do 9ª Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito (Concred), realizado de 21 a 23 de agosto, a Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebrás) promoveu a 2ª edição do Prêmio Concred Verde. O prêmio é oferecido bienalmente com o objetivo de reconhecer boas práticas e fomentar ações para a adoção e gestão de atividades sociais e ambientais em benefício da comunidade.

O Sicoob Blucredi foi premiado no Concred Verde na categoria Responsabilidade Ambiental, em 2010, e nesta edição obteve a terceira colocação da categoria com o projeto DocNet: inovação com responsabilidade ambiental.

O DocNet é um sistema informatizado de gerenciamento dos dados cadastrais dos associados da Blucredi, que inova ao reduzir de forma significativa a execução de tarefas relacionadas ao processo de operações de crédito, registro e acesso aos dados cadastrais, ao mesmo tempo em que permite economia de recursos e insumos que geram impacto ambiental, como energia elétrica e papel. O DocNet abrange entre as suas funcionalidades a digitalização e o armazenamento dos arquivos digitalizados em bancos de dados. O sistema digitaliza todos os dados cadastrais impressos dos associados, organiza e facilita o gerenciamento e a localização de informações de forma rápida e fácil, por meio digital. Ou seja, o arquivo que era físico e ocupava, de forma crescente, muito espaço, traduzido em metros quadrados, passou a ser um arquivo digitalizado, localizado em um servidor, que não chega a ocupar um metro quadrado de área.

Para o presidente do Sicoob Blucredi, João Marcos Baron, o DocNet representa a preocupação que a Coperativa Blucredi tem com o meio ambiente e a busca permanente por processos mais sustentáveis, “ao encontro dos desafios impostos hoje às empresas, de fomentar a sustentabilidade econômica, social e ambiental”, destaca Baron.

Fonte: Sicoob Blucredi

Sicoob patrocina 8º festa do Café Conilon

Na noite do dia 3 de agosto, no auditório da Câmara de Vereadores de Itabela (BA), aconteceu a abertura da 8º festa do Café Conilon de Itabela, que ocorreu durante os dias 3, 4 e 5 de agosto. O evento é uma realização do Sindicato Rural de Itabela em parceria com a Prefeitura Municipal e contou com o patrocínio do Sicoob Costa do Descobrimento, cooperativa associada ao Sicoob Central BA.

A Festa do Café é consolidada como um dos mais importantes eventos da cafeicultura, pois oferece um espaço para a busca de novos conhecimentos, debate de ideias e ações, realização de negócios e consolidação do cultivo do café conilon como mola propulsora da economia do município, da região extremo sul e do estado da Bahia.

“O objetivo do Sindicato com a realização da festa é oferecer lazer, mas, também, conhecimento e soluções para que os produtores possam ampliar seus negócios com qualidade, fortalecendo o agronegócio do café e a economia do nosso município”, disse o presidente do Sindicato, Edinaldo Oliveira.

O evento é também uma importante contribuição para a inserção definitiva do município de Itabela no rol dos produtores de excelência em café conilon, e uma rara oportunidade para o balizamento de conhecimentos, o intercâmbio e disseminação de informações conjunturais e mercadológicas, além do planejamento adequado de ações para enfrentamento de questões ligadas ao agronegócio.

Fonte: Com informações do Sul Bahia News
JoomShaper