• 1_BannerBlog_RevistaSicoob31_1170x300px.jpg
  • 2_BannerBlog_facaParte_1170x300px.jpg
  • 3_BannerBlog_NovosApps_1170x300px.jpg

Conheça as 12 dúvidas mais frequentes sobre o Sicoob

Dúvidas todo mundo tem e, muitas vezes, são as mesmas. Por isso, tão importante quanto as perguntas, dividir as respostas com vocês é ainda mais essencial para que nossa instituição cresça junto!

Confira:

1) O que é o Sicoob?

O Sicoob é uma instituição financeira cooperativa que oferece uma linha completa de produtos e serviços de natureza bancária a condições competitivas e compartilha os resultados financeiros com seus donos – os cooperados.

2) Como eu encontro o Sicoob?

No link: http://www.sicoob.com.br/pesquisa-cooperativa você encontra o Sicoob mais próximo de você.

3) Quem pode abrir uma conta no Sicoob?

Qualquer pessoa (física ou jurídica) pode ter uma conta no Sicoob.

4) Quais produtos e serviço são oferecidos pelo Sicoob?

Conta corrente, empréstimos, investimentos, cartões, previdência, poupança, consórcios, seguros, cobrança, adquirência (maquininha de pagamento), dentre outras soluções financeiras.

5) Como faço para me associar?

Para se associar, é preciso fazer a integralização das cotas para se tornar cooperado e ter acesso aos produtos e serviços financeiros do Sicoob. O valor e a forma de pagamento dessa cota de integralização variam de cooperativa para cooperativa. Os documentos são os mesmos que você usaria para abrir uma conta corrente em uma instituição bancária. Para pessoa física: documento de identidade, CPF, comprovante de residência (faturas de água, luz, telefone fixo, IPTU ou contrato de locação de imóveis) e comprovante de renda. Para pessoa jurídica: Contrato social/alterações CNPJ/MF e inscrição estadual e documentos dos procuradores.

6) Quais as principais vantagens do Sicoob?

    • Taxas de empréstimos mais competitivas;
    • Tarifas de serviços menores;
    • Melhor remuneração dos investimentos;
    • Participação do cooperado nos resultados financeiros;
    • Atendimento personalizado;
    • Decisões democráticas;
    • Investimento nas comunidades;
    • Envolvimento direto com projetos sociais nas comunidades;
    • O Sicoob está presente em todo o Brasil.

7) Quais são os Canais de Atendimento disponíveis no Sicoob?

A rede de atendimento do Sicoob conta com mais de 2,5 mil pontos de atendimento em todo País, 3.068 Terminais de Autoatendimento, 19 mil ATMs da Rede 24h e 880 correspondentes, além de outros canais alternativos de autoatendimento como o Internet Banking, Mobile Banking, TV Banking e redes sociais (Facebook).

8) Como funciona a dinâmica de negócio de uma cooperativa?

Em uma cooperativa, o correntista não é apenas um cliente - é chamado de cooperado porque também é dono do empreendimento. Por isso, ele tem acesso a produtos e serviços financeiros com juros e tarifas menores, além de receber um tratamento personalizado.

A partir do momento que é feita a integralização das cotas e aberta uma conta, a pessoa torna-se associada da cooperativa (sócia), mas também usuário porque utiliza os produtos e serviços oferecidos.

A cooperativa é dirigida por dirigentes eleitos pelos cooperados, contribui para o desenvolvimento local por meio da retenção e aplicação dos recursos de poupança e renda no próprio município, além de promover a divisão dos resultados financeiros ao final do exercício. Além disso, os cooperados participam das decisões da cooperativa nas assembleias e podem ser eleitos para exercer a função de gestor administrativo na instituição.

9) É exigido um depósito inicial? Ele é investido? Ele rende para o cooperado?

Sim. É exigida a integralização das cotas para se tornar cooperado e ter acesso aos produtos e serviços financeiros. A cota capital é o valor, em moeda corrente, que cada pessoa deposita ao ingressar na cooperativa, tornando-se cooperada.

O valor integralizado pelo cooperado é depositado em uma conta em seu nome, denominada conta capital. A conta capital é importante para a sustentabilidade da cooperativa, não podendo ser movimentada como uma conta corrente comum. Seus aportes, bem como as condições de saque, estão estabelecidos no Estatuto Social.

O valor e a forma de pagamento dessa cota variam de cooperativa para cooperativa e pode ser resgatado o quando cooperado se desliga da cooperativa, conforme estatuto.

10) Como funciona a remuneração do capital social dos cooperados?

A remuneração ao capital representa um dos diferenciais competitivos da cooperativa. Os resultados financeiros que, nas instituições financeiras convencionais, vão direto para os acionistas, nas cooperativas é compartilhado com os cooperados.

O Capital Social é parte do patrimônio de uma cooperativa financeira e é composto pelo somatório de todas as quotas-partes dos cooperados. A quota-parte é uma quantia em dinheiro que os cooperados depositam no momento em que entram na instituição. Este recurso é o que confere solidez à cooperativa.

Para a cooperativa, o Capital Social confere um fortalecimento do patrimônio líquido e a expansão da instituição. É uma fonte de recurso que possibilita aos cooperados obterem linhas de crédito com prazos maiores de pagamento e juros mais atrativos. Além disso, representa estabilidade financeira e segurança.

11) Quais são as garantias/seguranças que o cooperado conta por pertencer ao Sicoob?

Assim como nas instituições financeiras convencionais que contam com o Fundo Garantidor de Crédito, o investimento no Sicoob é garantido, até o limite de R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop). O Sicoob atua com forte proximidade ao cooperado, em um modelo sustentável que garante o crescimento acima da média nacional e um nível de satisfação elevado por parte dos cooperados.

12) As instituições financeiras cooperativas cobram tarifa bancária?

A política de cobrança de tarifas varia de acordo com o estatuto de cada cooperativa, podendo ser cobrada ou não. No entanto, nas instituições onde há a cobrança, os valores são inferiores aos pacotes oferecidos pelo mercado.

Sicoob apoia o movimento Compre do Pequeno

O Sicoob apóia o Movimento Compre do Pequeno Negócio (www.compredopequeno.com.br), ação lançada pelo Sebrae há pouco mais de um mês e que terá o seu ápice no dia 5 de outubro, dia em que foi instituído o Estatuto da Micro e Pequena Empresa.

O objetivo é disponibilizar um grande catálogo com uma lista dos pequenos negócios no Brasil para estimular as pessoas a comprarem do pequeno empreendedor. O hotsite tem duas áreas, uma voltada para o dono do negócio e outra voltada para o consumidor.

Veja abaixo como aderir à ação:

Pequeno empreendedor

Ao se identificar como dono no site do Movimento, o internauta é convidado a cadastrar o seu negócio, incluindo foto, texto com descrição dos serviços, telefone e site, se tiver.

A ideia é que os empresários se cadastrem no Movimento e estampem na porta de seus estabelecimentos a mensagem de que o empreendimento é um pequeno negócio. Assim, os consumidores podem escolher o local para fazer as compras. No endereço online, estão disponíveis para baixar o material para que o dono do pequeno negócio possa caracterizar sua empresa como participante do Movimento.

Consumidor:

O site também funciona como uma vitrine onde o consumidor encontrará a lista com os dados e a localização dos empreendimentos cadastrados.

Ao se identificar como cliente, e clicar na busca, o site pede para ter acesso à localização do internauta (pelo IP da máquina) e a partir daí ele lista os negócios mais próximos que participam do Movimento para que possa dar preferência às micro e pequenas empresas na hora de fazer compras.

Tudo gratuito, para quem oferta e para quem consulta.

Vamos aproveitar o Movimento para dar aquele impulso nos negócios ou consumir do pequeno empreendedor fortalecendo o comércio local e o desenvolvimento das regiões.

Acesse, cadastre-se e se conecte!

Material escolar: saiba como economizar nas compras de volta à aulas

Com as férias chegando ao fim e o início das aulas se aproximando a compra do material escolar é a grande preocupação das famílias, que muitas vezes significa um rombo no orçamento familiar.

Mas como economizar no momento da compra do material escolar? Confira no post algumas dicas de como ir as compras escolares de forma econômica!

1 – Aproveite itens dos anos anteriores – chega de desperdício e peça para as crianças para recolherem todo o material que sobrou dos anos anteriores. Além de economizar na compra você estará ensinando sobre educação financeira. Você vai ver o quanto poderá economizar em itens, como lápis de cor, de cera, apontador, canetas e borrachas. Sempre sobra e é um desperdício não reaproveitá-los.

2 – Compra coletiva no atacado – Muitos pais já recorrem às compras coletivas. Entre em contato com alguns pais e pergunte se desejam participar. Quem não vai querer economizar? Juntos podem conseguir bons descontos, o que pode representar uma grande economia no orçamento.

3 - Compre apenas o necessário - Não vá pelo apelo do material escolar. Existem itens irresistíveis, mas que se você pensar poderá fazer grande economia se substituí-los por itens mais baratos.

4 – Procure livros em sebo – existem sebos que vendem livros em perfeito estado, informe-se sobre isso e poderá fazer uma grande economia.

5 – Compre alguma coisa no período pós-volta às aulas – Deixe para comprar grande parte do material nesse período que costuma baixar o preço. Em vez de, por exemplo, comprar as 500 folhas de papel sulfite, compre a metade. Veja com a escola o material que não vai ser utilizado logo no início.

6 – Compre pela internet – avalie essa possibilidade, pois vai estar economizando em combustível, estacionamento etc. Alguns sites fazem bons descontos nas compras online.

7 – Pechinche – Se você possui reservas compre à vista e tente um bom desconto com o gerente, pois muitos compram à prestação.

8 – Não leve seu filho – O movimento exagerado nessa época nas lojas não é um bom ambiente para crianças, além de que elas sempre acabam convencendo os pais de comprarem materiais mais caros.

9 – Planeje antes – Antes de sair de casa planeje e faça uma lista das lojas que pretende ir. Busque por lojas em bairros mais simples, onde os preços são menores. Procure ir a pelo menos três lojas próximas umas das outras, pois elas geralmente tendem a baixarem os preços por causa da concorrência.

10 – Não compre em um lugar só – Se o seu objetivo é economizar, procure pesquisar os preços. Existem grandes diferenças de preços em itens iguais. Você certamente fará uma boa economia se pesquisar.

Boas compras no material escolar de seu filho!

Com informações: Economia - Meu Bolso IG | Foto: Shutterstock

Dicas para ficar no azul em 2015

Sempre que um ano novo começa diversas despesas já estão prontas para serem cobradas: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), licenciamento de veículos, despesas com o material escolar e matrículas.

Organizar o orçamento não é uma tarefa fácil, exige disciplina e acompanhamento. Há diversas ferramentas eletrônicas disponíveis na internet para quem não consegue se organizar sozinho. A Febraban, por exemplo, oferece gratuitamente uma ferramenta de controle financeira: o Jimbo, que está disponível em duas versões, em desktops ou aplicativo para o celular. O software está disponível para download no site Meu bolso em dia, uma iniciativa da própria Febraban. O link direto para download do software está aqui.

Após o cadastro das despesas fixas e extras - quando elas ocorrem, o Jimbo apresenta o planejamento financeiro dos próximos meses e o usuário consegue controlar as despesas fixas, receber alertas sobre a data de pagamento das contas, verificar a situação financeira dos próximos meses, além de ser avisado se está endividado ou se é poupador.

Depois de organizar o orçamento, é importante fazer uma lista dos projetos para 2015. Independente do projeto escolhido todos estão ligados à situação financeira. Por isso é importante um planejamento de poupança, levando em consideração o custo do que se quer conquistar e o tempo necessário para alcançar essa meta.

Confira 10 dicas para uma vida financeira mais saudável:

  1. Controle o orçamento;
  2. Acompanhe diariamente ou semanalmente os gastos;
  3. Ao contratar um crédito procure o mais adequado para sua situação;
  4. Não use o cheque especial e o cartão de crédito como extensão do salário;
  5. Evite pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito (rotativo);
  6. Reduza os gastos supérfluos;
  7. Tenha sempre um projeto de vida que acompanhe uma meta financeira;
  8. Tenha uma poupança de emergência (de 3 a 12 salários);
  9. Faça um planejamento financeiro pensando na aposentadoria;
  10. Equilibre as despesas e esteja sempre com o saldo positivo.
Fonte: Com informações da Febraban.

Fique atento ao preencher cheques no início de 2015

No início de cada ano os cooperados, normalmente, na hora de preencher cheques acabam se equivocando e colocam a data do ano anterior. Para evitar transtornos atenção redobrada na hora de preencher cheques a partir de 1º de janeiro, não se esqueça de colocar a data sempre com final 2015.

A confusão é natural na virada do ano. Por isso, durante o mês de janeiro, para os cheques datados com o ano de 2014, as instituições financeiras irão adotar procedimentos de verificação para checar se o documento não foi emitido além do prazo permitido em norma para sua compensação – o prazo é de seis meses. Se for comprovado que, de fato, houve um equívoco no preenchimento do cheque, o mesmo será compensado normalmente.

O cheque é um importante meio de pagamento e requer cuidados para sua boa conservação, segurança, evitando-se perdas ou extravios, e atenção no uso correto. Cuidado com a segurança na hora de utilizar o talão. As dicas para emitir sempre nominais e cruzados, eliminar espaços vazios, evitar rasuras, controlar os depósitos e retiradas no canhoto, além de levar apenas a quantidade de folhas que serão utilizadas no dia.

Especialista dá dicas de segurança para evitar inconvenientes com cartões de crédito

A compra no cartão crédito é um dos meios mais usados pelos brasileiros atualmente 

A compra no cartão crédito é um dos meios mais usados pelos brasileiros atualmente. Segundo dados divulgados recentemente pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) os pagamentos com cartões de crédito somaram 291 bilhões de reais no primeiro semestre, alta de 13,5 por cento ante o mesmo período de 2013.

Por isto, é sempre importante redobrar a atenção e os cuidados com os cartões de crédito. Roubos e perdas com cartão são muito comuns, além dos mal entendidos, que podem ser agravados pela falta de experiência dos funcionários de alguns estabelecimentos. Não são poucos os casos de pagamentos indevidos e valores errados. Svante Westerberg, CEO da maxiPago! e especialista em pagamentos eletrônicos, dá algumas dicas de como evitar esta dor de cabeça com cartões.

- Antes de sair de casa, anote os números do SAC dos seus cartões e leve com você. Isso pode ser muito útil no caso de perda ou furto do cartão. Para os portadores do Sicoobcard, por exemplo, o Sicoob dispõe de uma Central de Atendimento Cartões com atendimento 24 horas, todos os dias da semana. Os números para dúvidas, roubo ou perda do cartão são:

Regiões metropolitanas: 4007-1256

Demais regiões: 0800 702 0756

Exterior a cobrar: (55 61) 2101-8990

- Leve apenas os cartões necessários para a compra do dia. Levar todos os seus cartões para a rua pode ser um risco desnecessário.

- Nunca anote a sua senha em pedaços de papel e, principalmente, nunca a guarde na carteira. Se o seu cartão for furtado, a senha apenas facilitará a ação dos golpistas.

- Na loja, sempre verifique o valor na máquina antes de colocar a senha. Isso pode evitar fraudes e mal entendidos. Como valores errados e com zeros a mais (ex: R$ 300,00 em vez de R$ 30,00).

- Se o estabelecimento estiver muito cheio, redobre a atenção com sua carteira e objetos de valor.

- Se estiver usando o débito, tire um extrato bancário ao final das compras, para ter certeza que todos os pagamentos foram feitos corretamente. Os portadores dos cartões Sicoobcard (Crédito ou Múltiplo) podem contratar o Seguro de Proteção Perda ou Roubo (PPR) e o SMS Ilimitado, que garantem maior segurança, e principalmente, tranquilidade no controle das transações.

Caso seu cartão seja perdido ou haja algum débito indevido, Svante Westerberg aconselha ainda a não perder tempo e entrar em contato com o banco ainda na loja. “O espaço de tempo entre uma pessoa sentir a falta do cartão e acionar a empresa responsável deve ser o menor possível. Avisar ao banco pode impedir um dano maior, já que eles podem impedir a aprovação das compras imediatamente”. Ele explica ainda que o estorno de uma cobrança indevida pode levar até 4 dias para ser aprovado, mas alguns cartões já contam com funcionalidades que aprovam o estorno automaticamente.

Fonte: Com informações do Portal On.
JoomShaper