• 0_0_pmkt_janeiro_1300x495px.jpg
  • 0_1_banner_revisa_blog.jpg
  • 0_2_blog_facaparte.jpg

Fundo Garantidor das cooperativas de crédito é discutido durante Fórum do BC

O Fundo Garantidor nacional das cooperativas de crédito foi tema do último painel nesta manhã durante o Fórum sobre inclusão financeira do Banco Central, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. O coordenador do Conselho Consultivo de Crédito da Organização das Cooperativas brasileiras (OCB/CECO) e presidente do Sicoob Confederação, José Salvino de Menezes, falou sobre os aspectos importantes para a criação do fundo e os benefícios que o novo mecanismo trará para o setor cooperativista de crédito.

Para Salvino um dos pontos principais a serem discutidos é a governança do novo fundo. “Com a criação do Fundo Garantidor das cooperativas de crédito é necessário fomentar a discussão sobre regimento interno, valor mínimo de contribuição, uso de reservas dos fundos em funcionamento, entre outros pontos. O fundo garantirá um ganho de competitividade e o fortalecimento das cooperativas do país".

Salvino destacou ainda os principais objetivos da criação do Fundo entre eles, a diminuição dos custos, fortalecimento da estrutura, alinhamento com as melhores práticas internacionais, cumprimento de determinação legal, melhoria e unificação de padrões de controle e mitigação de riscos sistêmicos.

Presidente do Sicoob Confederação defende a unificação do sistema cooperativista de crédito no país

Nesta manhã, o presidente do Sicoob Confederação, José Salvino de Menezes participou de painel com o tema "Ano internacional das cooperativas: perspectivas para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo" durante IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira, que está sendo realizado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Salvino defendeu a unificação do sistema cooperativista de crédito no país e a importância da padronização para a redução dos custos. ”Vejo a reunião de líderes dos sistemas cooperativistas de crédito presentes nesta mesa como um desafio. Em um futuro não muito distante, poderemos estar juntos, mas representados por apenas um líder. A postura sistêmica por meio de diversas medidas que estão sendo instituídas, entre elas a criação do Fundo Garantidor Único do Cooperativismo de Crédito, garantem o desenvolvimento do setor e a diminuição de despesas para todos”, diz.

O presidente do Sicoob Confederação apresentou um panorama do setor cooperativista de crédito no país e destacou a importância do crescimento na participação do segmento no mercado. “Temos muitas oportunidades de crescimento dentro do sistema financeiro nacional, oferecendo produtos e serviços nas regiões onde os bancos não chegam para oferecer serviços bancários que as pessoas necessitam”, completa.

Participaram ainda do painel o presidente da Confederação Nacional das Cooperativas Centrais (Unicred do Brasil), Euclides Reis Quaresma, o presidente da Confederação Nacional das Cooperativas Centrais de Crédito Rural com Interação Solidária (Confesol), José Paulo Crisóstomo Ferreira, o presidente da Confederação do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi), Manfred Alfonso Dasenbrock e, como moderador, o diretor de Fiscalização do Banco Central do Brasil, Anthero de Moraes Meirelles.

Saiba como adquirir moeda comemorativa em homenagem ao Ano Internacional das Cooperativas.

O Banco Central lançou hoje, 29/10, no IV Fórum sobre Inclusão Financeira em Porto Alegre, moeda comemorativa em homenagem ao Ano Internacional das Cooperativas.

Cunhada em prata e com valor de face de R$5, a moeda traz no anverso a logomarca oficial do evento, além da legenda “Ano Internacional das Cooperativas”. No reverso, destaca-se uma ilustração do globo terrestre sustentado por três pares de mãos, em alusão ao trabalho cooperativo. O slogan oficial do evento “Cooperativas constroem um mundo melhor” e a legenda “Brasil” completam a composição.

Ao instituir o ano de 2012 como Ano Internacional das Cooperativas, a Organização das Nações Unidas visa promover o cooperativismo como instrumento de desenvolvimento socioeconômico e redução da pobreza. No Brasil, existem hoje 6.586 cooperativas e aproximadamente dez milhões de cooperados, em 13 diferentes ramos de atuação. O lançamento da moeda comemorativa em homenagem ao Ano Internacional das Cooperativas é um reconhecimento da importância da iniciativa da ONU e também uma forma de contribuir para ampliar a visibilidade e a conscientização a respeito dos benefícios do cooperativismo.

Clique para ver imagem da moeda.

 

Características:

Valor de face: 5 reais

Material: prata 999/1000

Diâmetro: 40 mm

Peso: 28 g

Bordo:  serrilhado

Acabamento: proof

Tiragem inicial: 3,5 mil moedas

Tiragem máxima: 10 mil moedas

 
Como adquirir a moeda:

Quanto custará a moeda?
A moeda comemorativa custará R$ 180,00.

O pagamento pode ser feito com cheque ou cartão?
Não. O pagamento deverá ser em dinheiro.

Onde comprar?
A moeda poderá ser adquirida no IV Fórum Banco Central de Inclusão Financeira e a partir do dia 30/10 nos guichês de atendimento do departamento do Meio Circulante (veja abaixo a lista com os endereços dos prédios das regionais do BC e os horários de funcionamento).

É possível comprar a moeda comemorativa pela internet?
Sim, por meio do sítio do Banco do Brasil, no endereço http://www.bb.com.br/. Neste caso, a moeda poderá ser comprada com débito em conta (para os correntistas do BB) ou com boleto bancário. Não será aceito cartão de crédito.

Regionais do BC
Belém (PA) - Boulevard Castilhos França, 708. Telefone: (91) 3181-2099
Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605. Telefone: (31) 3253-7054
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo. Telefone: (61) 3414-2254
Curitiba (PR) - Rua Cândido de Abreu, 344. Telefone: (41) 3281-3210
Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 273. Telefone: (85) 3308-5470
Porto Alegre (RS) - Av. Alberto Bins, 348. Telefone: (51) 3215-7382
Recife (PE) - Rua da Aurora, 1259. Telefone: (81) 2125-4229
Rio de Janeiro (RJ) - Av. Rio Branco, 30. Telefone: (21) 2189-6281
Salvador (BA) - Av. da França, s/nº - anexo B do Banco do Brasil. Telefone: (71) 2109-4750
São Paulo (SP) - Av. Paulista, 1804. Telefone: (11) 3491-6557

Fonte: Assessoria de imprensa do Banco Central do Brasil.

Banco Central lança moeda em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas

O Banco Central do Brasil lançou hoje a moeda em comemoração ao Ano Internacional das cooperativas. Cunhada em prata e com valor de face de R$5, a moeda traz no anverso a logomarca oficial do evento, além da legenda "Ano Internacional das Cooperativas". No reverso, destaca-se uma ilustração do globo terrestre sustentado por três pares de mãos, em alusão ao trabalho cooperativo. O slogan oficial do evento "Cooperativas constroem um mundo melhor" e a legenda "Brasil" completam a composição.

A moeda poderá ser adquirida durante o IV Fórum e a partir do dia 30/10 nos guichês de atendimento do departamento do Meio circulante (regionais do BC em todo país) e pela internet no site do BC. A moeda custará R$ 180.

As autoridades defenderam o lançamento da moeda como uma demonstração do reconhecimento do cooperativismo para a sociedade brasileira, da importância da iniciativa da ONU e uma forma de contribuir para ampliar a visibilidade a conscientização a respeito dos benefícios do cooperativismo.

O presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, destacou os avanços normativos conquistados com a parceira entre o Banco Central e as cooperativas de crédito que contribuíram para a iniciativa do lançamento da moeda. “As cooperativas ajudam mesmo a construir um mundo melhor. O ponto forte das comemorações será com certeza o lançamento dessa moeda, um marco do avanço na regulamentação das cooperativas de crédito”, diz.

BC anuncia criação de Fundo do Cooperativismo de Crédito

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta segunda-feira (29) que foi criado o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop) com o objetivo de garantir os depósitos em cooperativas de crédito, além de, em um segundo momento, apoiar operações de assistência e suporte financeiro. "Esse fundo será de abrangência nacional, independente e contará com a participação de todas as cooperativas de crédito que captam depósitos, além dos bancos cooperativos", afirmou.

Tombini disse ainda que o Conselho Monetário Nacional (CMN) editou normativo determinando a remessa ao Banco Central de um demonstrativo que reflita a posição financeira global do grupo econômico de um mesmo sistema cooperativo, da mesma forma como é exigido de conglomerados financeiros.

O novo demonstrativo será chamado "Balancete Combinado do Sistema Cooperativo" e consiste na combinação de ativos, passivos, receitas e despesas das instituições integrantes de um mesmo sistema, como se em conjunto representassem uma única entidade. O presidente do BC participa da abertura do IV Fórum Banco Central de Inclusão Financeira, em Porto Alegre.

Segundo Tombini, o volume de operações no sistema cooperativo atingiu R$ 40 bilhões em junho de 2012, o que correspondeu a um aumento de 39% em relação a dezembro de 2010. "Em dez anos, o volume de operações de crédito atingiu crescimento de mais de 600%", disse. "Esse incremento foi possível em decorrência do crescimento no volume de captação de depósitos, que alcançou de R$ 46 bilhões em junho de 2012 - aumento da ordem de 53% ante dezembro de 2010 e de 590% nos últimos dez anos.

Fonte: Agência Estado

Fórum do Banco Central discute políticas sobre inclusão financeira

Neste momento, dirigentes do Sicoob estão presentes do IV Fórum do Banco Central sobre inclusão financeira em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Participam do evento autoridades, ministros, representantes do Sistema OCB, Sebrae e lideranças do sistema cooperativista de crédito do país.

Compõe a mesa de abertura do evento o presidente do Banco Central do Brasil (BC), Alexandre Antônio Tombini, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo Silva, o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco Central do Brasil, Luiz Edson Feltrim, o presidente do Sebrae, Luiz Eduardo Barreto e o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Márcio Lopes de Freitas.

O presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Antônio Tombini, falou sobre os avanços do setor cooperativista de crédito nos últimos anos e a importância das cooperativas de crédito para o desenvolvimento dos associados e das comunidades onde atuam. “A inclusão financeira é a chave para o desenvolvimento socioeconômico”, destacou. Tombini informou sobre a criação do cadastro unificado das cooperativas de crédito que possibilitará a reunião de informações sobre o perfil das instituições cooperativistas de crédito e dos associados. Destacou também que hoje acontecerá o lançamento da moeda em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas e a criação do Fundo Garantidor Único do cooperativismo de crédito. “A instituição do fundo é um passo fundamental para a consolidação do Sistema Financeiro Nacional”, enfatizou.

O diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco Central do Brasil, Luiz Edson Feltrim, destacou a importância dos resultados do trabalho do governo em parceira com a iniciativa privada e instituições de pesquisa com o objetivo de promover o processo de inclusão o acesso e uso de recursos financeiros. “São necessários investimentos no fortalecimento do ambiente institucional e o reforço na importância da educação financeira e a proteção dos usuários de serviços financeiros com o objetivo de promover um cenário de políticas de promoção de um sistema financeiro sólido, inclusivo e socialmente justo”, diz Feltrim.

JoomShaper