• 0_0_0_Blog_TopoBannerWeb_Efinance2017_1170x300px.jpg
  • 0_0_pmkt_janeiro_1300x495px.jpg
  • 0_1_banner_revisa.jpg
  • 0_2_blog_facaparte.jpg

IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira começa nesta segunda e terá transmissão ao vivo

De hoje a 31 de outubro, acontece o IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira, no Centro de Eventos Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O evento é promovido pelo Banco Central do Brasil (BC) e terá transmissão ao vivo, por meio de linkno site oficial da instituição.

O presidente do Sicoob Confederação e coordenador nacional do Conselho Especializado de Crédito da Organização das Cooperativas Brasileiras (Ceco/OCB), José Salvino de Menezes, apresentará dois painéis durante o evento: "Sistema de proteção e fortalecimento do cooperativismo de crédito: o Fundo Garantidor Nacional das Cooperativas de Crédito" e "Ano Internacional das Cooperativas: perspectivas para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo".

O objetivo do fórum é apresentar e discutir o andamento das ações do Plano de Fortalecimento do Ambiente Institucional, lançado em maio deste ano pelo BC, como instrumento de atuação da Parceria Nacional para Inclusão Financeira. A cerimônia de abertura será às 14h, com discurso do presidente do BC, Alexandre Tombini.

Realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e com apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o fórum trará para discussão temas como inclusão financeira, pagamentos móveis (mobile payment), perspectivas para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, regulamentação e atuação no segmento de microcrédito, educação financeira e proteção aos usuários de serviços financeiros.

Como homenagem à 2012, o Ano Internacional das Cooperativas, declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o BC lançará moeda comemorativa em prata, que poderá ser adquirida durante o evento e posteriormente nas regionais da instituição.

Confira aqui a programação completa do evento.

Local: Salão de Eventos do Hotel Plaza São Rafael - Porto Alegre/RS
Endereço: Alberto Bins nº 509, Centro
Data: 29 a 31 de outubro

Prêmio Cooperativa do Ano 2012 está na reta final

No dia 22 de outubro, teve início o julgamento dos projetos inscritos no Prêmio Cooperativa do Ano 2012. Promovido pelo Sistema OCB em parceria com a revista Globo Rural, esta oitava edição recebeu 212 projetos, de 138 cooperativas, localizadas em 20 estados brasileiros.

“Foi possível perceber um aumento significativo no número de projetos inscritos e de estados participantes. Isso demonstra, sem dúvida, que as nossas cooperativas constroem um mundo melhor e querem mostrar isso à sociedade”, ressaltou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

As cooperativas puderam se inscrever em sete categorias distintas, independente do ramo ou porte. São elas: Desenvolvimento Sustentável; Cooperativa Cidadã; Comunicação e Difusão do Cooperativismo; Fidelização; Benefícios; Atendimento; e Inovação e Tecnologia. O Sicoob Confederação está concorrendo em duas categorias: Comunicação e Difusão do Cooperativismo, com a Revista Sicoob, e Inovação e Tecnologia com o case Consultas Financeiras nas Redes Sociais (Facebook) .

A Comissão Julgadora é formada por 16 membros, entre profissionais da OCB, do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), além de consultores, que estarão reunidos durante toda esta semana na sede do Sistema OCB, em Brasília (DF), avaliando os projetos. 

Entre os dias 5 e 9/11 serão divulgados os resultados da etapa estadual. Os vencedores nacionais (1º, 2º e 3º lugares) serão conhecidos na solenidade de entrega do Prêmio Cooperativa do Ano, no dia 20 de novembro.

Cooperativismo democratiza crédito para os brasileiros

Setor cooperativista de crédito continua crescendo e consolidando seu papel no processo de inclusão financeira no país

Na próxima quinta-feira (18), o mundo inteiro comemora o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito. A celebração acontece em um momento de desenvolvimento contínuo do setor. As cooperativas de crédito têm desempenhado papel fundamental no processo de inclusão financeira de milhares de pessoas em todo país. A expansão do setor, a visibilidade e a credibilidade alcançada por meio dos resultados dos últimos anos consolida, cada vez mais, o segmento como uma alternativa forte na economia brasileira. Além de promover, o desenvolvimento socioeconômico sustentável, o segmento oferece vantagens como atendimento diferenciado, crédito facilitado, taxas e juros justos, entre outros.

De acordo com dados da OCB (Organização das Cooperativas do Brasil), os ativos das 1.312 sociedades de crédito cresceram 13,75% em relação a dezembro do ano passado (2011), de R$ 86 bilhões em dezembro de 2011 para R$ 98 bilhões em junho deste ano. As cooperativas de crédito ocupam a 9º posição entre as instituições financeiras de varejo no Brasil em ativos administrados.

Nos depósitos, o setor teve um crescimento de 21,22% no primeiro semestre, saindo de R$ 38 bilhões e alcançando a marca de R$ 46 bilhões em junho de 2012. Trata-se de um crescimento de 5% no comparativo aos seis primeiros meses do último ano e praticamente dez vezes maior do que o percentual apresentado pelo Sistema Financeiro Nacional (SFN) neste semestre, que foi de 2,33%. O patrimônio das cooperativas cresceu 10,62%, chegando a R$ 17,6 bilhões e no quesito empréstimos, o aumento foi de 9,94%, totalizando R$ 41,6 bilhões.

Atualmente, o setor cooperativista de crédito possui a 2ª maior rede de atendimento em todo território nacional com aproximadamente 5 mil pontos à disposição para 5,8 milhões de pessoas.

No Sicoob, maior sistema de cooperativas de crédito do país, a carteira de crédito registrou crescimento de 23,3% no primeiro semestre de 2012 e já alcança a marca de R$ 18,4 bilhões. Os ativos do Sicoob também evoluíram atingindo R$ 31,2 bilhões, valor 17,1% superior em relação ao mesmo período do ano passado. O patrimônio líquido das cooperativas de crédito do Sicoob teve crescimento de 7,84%, com R$ 7 bilhões.

Números do Setor e do Sicoob
Dados Setor Cooperativista de Crédito
Cooperativas 1.312 552
Associados 5,8 milhões 2,1 milhões
Pontos de Atendimento 5 mil 1.949
Ativos R$ 98 bilhões R$ 31,2 bilhões
Patrimônio Líquido R$ 17,6 bilhões R$ 7 bilhões

*Dados: Sicoob Confederação, OCB e Banco Central do Brasil

Diferencial do cooperativismo de crédito

As cooperativas de crédito oferecem os mesmos produtos disponibilizados pelos bancos comerciais, como cartões de crédito, conta corrente, aplicações, poupança e seguros, porém, com taxas e juros reduzidos. Elas se distinguem das demais instituições financeiras porque têm como principal objetivo a prestação de serviços aos seus associados, que também são sócios do empreendimento. Além disso, os cooperados têm direito a voto nas decisões e participam da distribuição dos resultados da instituição.

Ainda, proporcionam acesso a recursos financeiros especiais para empréstimo, investimento e capital de giro à pessoa física e empreendedores de vários segmentos com taxas e tarifas competitivas. Os resultados de todos os investimentos gerados pelas instituições cooperativistas retornam para as regiões de atuação das cooperativas de crédito, o que proporciona o desenvolvimento das comunidades.

Ano Internacional das Cooperativas

O ano de 2012 foi estabelecido pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), como o Ano Internacional das Cooperativas, em reconhecimento ao papel das entidades cooperativistas no desenvolvimento econômico da sociedade, inclusão social e geração de renda. No Brasil, o Banco Central do Brasil (BC), lançara no final deste mês uma moeda comemorativa que apresentará a logomarca oficial e o slogan do Ano Internacional das Cooperativas, "Cooperativas constroem um mundo melhor". Em reconhecimento ao importante papel das cooperativas de crédito no país, a Presidente Dilma Roussef promulgou a Lei 12.620 e instituiu o a data 28 de dezembro como o Dia Nacional das Cooperativas de Crédito.

Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito

Conhecido mundialmente, o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito (DICC) é celebrado na 3ª quinta-feira do mês de outubro e neste ano será comemorado no dia 18.

Além de relembrar o passado relacionado ao tema, o DICC comemora o sucesso que o cooperativismo de crédito se tornou e a data marca a previsão de futuras vitórias para as cooperativas e mais ainda para os cooperados.

Conheça um pouco mais sobre a história do Cooperativismo de Crédito.

O Primeiro Dia do Cooperativismo de Crédito

Em 17 de janeiro de 1927, a Federação de Cooperativas de Crédito de Massachusetts nos Estados Unidos celebrou o primeiro feriado oficial para membros e trabalhadores das cooperativas de crédito. Foi escolhido o dia 17 de janeiro como uma alusão ao aniversário de Benjamin Franklin (1706-1790), conhecido como o “Apóstolo da Economia”.

Dois americanos pioneiros do movimento cooperativista de crédito acreditavam que Franklin simbolizava “a vida e os ensinamentos incorporados no espírito e finalidade das cooperativas de crédito”. Porém, naquele tempo, havia tanta atividade no desenvolvimento de novas cooperativas na América do Norte, que as pessoas estavam, ou demasiadamente ocupadas para celebrar o movimento, ou eram muito novas para reconhecer o significado de suas ações. Assim, após um breve período de teste, acabou o costume de celebrar o Dia do Cooperativismo de Crédito.

A Segunda Oportunidade

Em 1948, a Associação Nacional de Cooperativas de Crédito (CUNA) dos Estados Unidos decidiu tentar estabelecer uma nova data para celebrar o Dia do Cooperativismo de Crédito. A CUNA e a Sociedade de Seguro CUNA Mutual decidiram pela terceira quinta feira de outubro como dia nacional para celebrar o movimento. Nessa época, a maioria dos líderes cooperativistas acreditavam que havia a necessidade de uma data que reunisse as pessoas, para que refletissem sobre sua história cooperativista, os ganhos de suas cooperativas e para promover os ideais da cooperativa de crédito por todo o país.

Cooperativas de Crédito, as Federações dos EUA e muitas das Assembleias informais de cada estado foram estimuladas a celebrar a nova data de alguma maneira. O feriado era aproveitado como oportunidade para arrecadar fundos para as causas que patrocinavam o movimento e para homenagear os homens e as mulheres que haviam dedicado suas vidas ao desenvolvimento do cooperativismo de crédito.

Onde e como o Dia é Celebrado

Conforme crescia a quantidade de pessoas que se envolviam, criavam-se mais maneiras de comemorar a ocasião. Os membros do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito, agora celebram a data, abrindo as portas de suas instituições ao público e patrocinando piqueniques, feiras, festivais e desfiles. Com frequência, as Federações e Assembleias de Cooperativas realizam competições esportivas. Reuniões públicas com visitas de dignitários têm se mostrado eficazes para chamar a atenção dos meios de comunicação e do público. Ocasionalmente, estações de televisão e rádio apresentam entrevistas ou produzem programas especiais sobre as cooperativas de crédito. Artigos especiais ou anúncios aparecem em periódicos e revistas. Há concursos reservados a crianças, festas para jovens e outros concursos para eleger o melhor pôster ou ensaio. Se rende homenagem aos dirigentes cooperativistas do passado, do presente e do futuro em banquetes e jantares dançantes. Além disso, importantes funcionários do governo fazem discursos.

Fonte: Confebrás

Ceco e Banco Central avançam na criação do Fundo Garantidor para cooperativas de crédito

Em reunião com o diretor de Organização do Sistema Financeiro do Banco Central do Brasil, Sidnei Marques, e cerca de dez outros representantes da instituição, o Conselho Consultivo do Ramo Crédito (Ceco), coordenado por José Salvino de Menezes, presidente do Sicoob, evoluiu nos entendimentos e detalhes, na tarde do dia 4/10, a respeito da minuta de Resolução para criação do Fundo Garantidor do cooperativismo de crédito brasileiro. “A criação do Fundo Garantidor de Créditos aumentará e consolidará a confiabilidade do público em geral no segmento cooperativo”, declarou o diretor do BC.

Representando a Diretoria do Sistema OCB na reunião, o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no estado do Mato Grosso do Sul (OCB-MS), Celso Régis, avaliou como extremamente positiva para o Sistema a relevância dada pelo BC à criação do Fundo, levando em consideração o empenho que vem sendo dedicado ao tema e a presença maciça de seus representantes na reunião.  E pontuou, ainda: “Estamos vivendo um momento muito pró-ativo, de busca pela melhoria dos marcos regulatórios do setor. Esse Fundo Garantidor vem ao encontro de um anseio do cooperativismo de crédito brasileiro, e com certeza irá promover o seu crescimento e fortalecimento”. Segundo Régis, durante todo o encontro houve alinhamento entre as posições de ambas instituições.

De acordo com o Conselheiro Fiscal da OCB, João Carlos Spenthof, na ocasião representando o Sistema Sicredi no Ceco, o objetivo do Fundo é garantir segurança aos associados depositantes, das cooperativas de crédito, assegurando os depósitos dos sócios. “É a obtenção de garantia e equidade em relação às demais instituições financeiras do mercado brasileiro, que operam com seu Fundo Garantidor de Créditos neste mesmo valor”, pontuou.

O gerente do Ramo Crédito da OCB, Sílvio Giusti, explica que as entidades participantes do Fundo serão as cooperativas de crédito que captam depósitos e os bancos cooperativos, e que a cobertura será similar à do FGC das demais instituições financeiras. Segundo Giusti, a proposta do Fundo é equilibrar as forças dentro do mercado financeiro, ampliando significativamente a capacidade de competição das cooperativas nesse novo cenário vivido no Brasil. “A ideia é que o Fundo potencialize as condições das cooperativas crescerem com, no mínimo, a mesma segurança das outras instituições. A expectativa é equilibrar essa condição de segurança e ampliar a competitividade das cooperativas frente às demais instituições financeiras brasileiras”, resumiu.

A estimativa é de que a Resolução que trata da criação do Fundo seja lançada ainda neste mês de outubro, possivelmente quando da realização do IV Fórum BC de Inclusão Financeira, previsto para os dias 29 a 31 de outubro. Posteriormente, os representantes do Ceco e BC iniciam novas discussões sobre uma segunda Resolução que deverá normatizar o Fundo, no que diz respeito ao estatuto e regulamento, pontuando questões relativas a governança, contribuições e utilização efetiva dos recursos.

Fonte: Portal do Cooperativismo de Crédito

Cooperativas de Crédito avançam na participação de mercado

Dados do Banco Central do Brasil, de junho/2012, demonstram que as cooperativas de crédito avançaram de 2,25% para 2,37% em termos de participação no volume de ativos administrados pelo Sistema Financeiro Nacional (SFN), quando comparado com a posição de dez/2011.

O volume de ativos administrados pelas cooperativas de crédito e também pelos bancos cooperativos (Banco Sicredi S.A. e Bancoob S.A.), em junho era de R$ 131 milhões, 13,7% superior ao volume de dez/2011. Neste mesmo período o volume de ativos do SFN cresceu apenas 7,74%, atingindo R$ 5,5 trilhões.

Quando analisado apenas o volume de ativos das cooperativas de crédito, sem considerar os bancos cooperativos, o volume de ativos cresceu 14%, atingindo R$ 98,4 milhões.

Somadas, as 1.268 cooperativas de crédito, ocupam a 7ª posição entre as instituições financeiras de varejo (com rede de atendimento) no volume de ativos, a 7ª posição no volume de depósitos, a 6ª em volume de crédito concedido e a 6ª em patrimônio líquido.

No período de dez/2011 a jun/2012 o volume de depósitos do SFN cresceu apenas 2,33%, atingindo R$ 1,7 trilhão, sendo que no mesmo período as cooperativas de crédito cresceram seu volume de depósitos em 9,74%. O market share atual das cooperativas nos depósitos totais é de 3,35%, sendo que nos depósitos a vista a participação é de 4,82% e nos depósitos a prazo de 4,75%. Já nas captações em caderneta de poupança o market share é de apenas 0,05%.

Já na carteira de crédito, enquanto as cooperativas cresceram apenas 1,39%, o Sistema Financeiro cresceu 7,55%, sendo que o market share atual das cooperativas de crédito é de 2,59%.

(Fonte: http://www.cooperativismodecredito.com.br/)
JoomShaper