Bancos cooperativos crescem e figuram entre os 20 maiores

As operações das cooperativas de crédito estão cada vez mais semelhantes às dos bancos de varejo e cada vez mais distantes do crédito rural que as originou. Os dois bancos cooperativos do país, detidos por grupos de cooperativas, têm hoje um tamanho que se compara a bancos médios e os situa entre as 20 maiores instituições financeiras do país. O Banco Cooperativo Sicredi finalizou 2013 com ativos totais de R$ 23,812 bilhões, enquanto o Bancoob terminou o ano com R$ 18,112 bilhões. Com base nesse critério, o tamanho desses dois bancos se aproxima, por exemplo, de bancos médios como o Pan e o ABC Brasil, que tinham em dezembro ativos totais de R$ 21,725 bilhões e R$ 17,267 bilhões, respectivamente.

Na avaliação de dirigente do Bancoob, a expansão nos últimos anos acompanha o crescimento das cooperativas de crédito e se sustenta, principalmente, pela timidez da política de crédito dos bancos privados, que modificaram a composição de suas carteiras nos últimos anos e cederam espaço para as cooperativas. "As cooperativas não fecharam as carteiras em momento nenhum e mantiveram o ritmo das operações de crédito nesse período e, por isso, ganharam market share", afirma o diretor-presidente do Bancoob, Marco Aurelio Borges de Almada Abreu (foto). Ao buscarem crédito nas cooperativas, os cooperados acabam também por trazer toda a sua movimentação bancária para as instituições, o que também explica o aumento dos depósitos.

No caso do Bancoob, entre 2009 e 2013, os depósitos subiram 284% de R$ 3,552 bilhões para R$ 13,657 bilhões, enquanto as operações de crédito caminharam de R$ 2,408 bilhões para R$ 6,688 bilhões, uma expansão de 178%. O saldo de ativos evoluiu 166% nesse intervalo.

Para o Banco Cooperativo Sicredi, além do crescimento das cooperativas filiadas ao Sicredi, a expansão do banco se dá por conta da ampliação do portfólio de produtos e serviços, revisão de processos, redução de custos, ganhos de eficiência e gestão de risco. Os depósitos do Banco Cooperativo Sicredi tiveram expansão de 126% entre 2009 e 2013, saltando de R$ 4,784 bilhões para R$ 10,812 bilhões, enquanto as operações de crédito saltaram 198,2% de R$ 3,659 bilhões para R$ 10,912 bilhões. Os ativos, por suas vez, cresceram 161,8%.

Os dois bancos são detidos pelos dois maiores sistemas de cooperativas, o Sicredi e o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob). Os sistemas também mostraram crescimento no mesmo período e oferecem hoje serviços que são muito semelhantes aos ofertados pelos bancos de varejo, incluindo serviços online, cartões de crédito e débito, fundos de investimento, depósitos a prazo, poupança, caixa eletrônico, seguros, previdência, etc. Nesse contexto, os bancos cooperativos têm papel fundamental pois servem de instrumento para que as cooperativas acessem o mercado financeiro, buscando, por exemplo, recursos de terceiros para financiar as demandas dos cooperados, incluindo repasses do BNDES, linhas para a atividade rural, financiamento no exterior etc.

Os bancos cooperativos surgiram após a extinção do Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC), que, na década de 90, era o banco responsável pelas operações das cooperativas de crédito. Em 1997, uma resolução do Banco Central garantiu a criação de bancos cooperativos, que poderiam atuar sob o controle de cooperativas centrais de crédito e deviam deter, pelo menos, 51% de suas ações com direito a voto.

Com esses bancos na retaguarda, Sicredi e Sicoob investem na ampliação de seus serviços. Para o segundo semestre, o Sicoob, junto com o Bancoob, vai investir na oferta de uma carteira de financiamento imobiliário e em fundos de investimento de varejo. "Estamos na fase de preparação operacional dessas plataformas", disse o diretor presidente do Bancoob, explicando, porém, que a entrada em crédito imobiliário deve ser modesta ao longo de 2014.

Para este ano, porém, quando se fala em novos negócios, a grande expectativa para o Bancoob está no chamado negócio de adquirência, de captura das transações com cartões de crédito e débito. Em janeiro, o banco anunciou uma parceria com a processadora First Data. Juntas, as duas empresas esperam ter entre 5% a 10% do mercado brasileiro de pagamentos eletrônicos até o fim de 2018. O banco ainda está estruturando a operação com a parceira, mas espera um promissor segundo semestre. "Imagino que vamos ter um ritmo de crescimento maior com esses negócios porque temos duas frentes de venda, a nossa e a da First Data", destacou.

O Sicredi também está investindo no financiamento imobiliário. O diretor-executivo de produtos e negócios do Banco Cooperativo Sicredi, Edson Nassar, explica que o investimento nessa linha faz parte da estratégia das cooperativas de oferecer um portfólio de serviços completo aos cooperados. "Não será o nosso carro-chefe no momento, mas o crédito imobiliário será um produto complementar à grade de serviços e produtos que oferecemos", afirmou. Ele conta que nos últimos cinco anos o Sicredi e o banco investiram em tecnologia, incluindo novas plataformas e canais transacionais para garantir que os cooperados tivessem acesso a novos serviços.

A expansão do portfólio de serviços é também uma forma de atender à mudança da atuação das cooperativas, que não estão mais concentradas apenas no meio rural. Até 1992, a regulamentação que as regia limitava suas operações ao setor agropecuário. Hoje, apesar do crédito rural ainda ser foco, as cooperativas ampliaram o atendimento. "Não diminuiremos o nosso crescimento no meio rural, mas para atender o público urbano é necessário ter novos produtos na carteira", diz o presidente-executivo do Sicredi, Ademar Schardong.

Hoje o Bancoob atende as 521 cooperativas do sistema Sicoob, que tem 2.178 agências e 2,7 milhões de cooperados. As cooperativas do sistema estão presentes em todos os estados, com exceção de Sergipe, Ceará e Roraima. O Banco Cooperativo Sicredi sustenta as operações do Sicredi, que tem 100 cooperativas de crédito, 1.258 pontos de atendimento e 2,5 milhões de associados. As cooperativas do sistema estão no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Goiás.

Fonte: Valor Econômico

Educação Financeira é tema de evento nacional

Começou nesta segunda-feira (5) e vai até a próxima sexta-feira (9) a primeira edição da Semana Nacional de Educação Financeira (Semana Enef), com eventos gratuitos, em diversas regiões do país, voltados para a organização financeira e investimentos pessoais.

Os eventos acontecem nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Curitiba (RS), Maringá (PR), Cuiabá (MT), Goiânia (GO), Brasília (DF), Salvador (BA), Recife (PE), Teresina (PI), Fortaleza (CE) e Belém (PA).

Entre os temas das palestras estão assuntos como, aplicação em previdência privada, títulos do Tesouro, fundos imobiliários e ações, cidadania financeira, inflação, compra compulsiva e dívidas, seguros e previdência complementar, funcionamento do Sistema Financeiro Nacional, entre outros.

Para participar das atividades realizadas durante a Semana Enef, basta acessar o site do evento e conferir a agenda oficial. Cada iniciativa disponibiliza as informações necessárias para a inscrição que é gratuita.

A Semana Enefe é uma iniciativa do Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) para promover a Estratégia Nacional de Educação Financeira, política pública lançada em 2010, que tem como finalidade promover a educação financeira e previdenciária, além de contribuir para o fortalecimento da cidadania, a eficiência e solidez do sistema financeiro nacional e a tomada de decisões conscientes por parte dos consumidores.

O Conef é formado pelo Banco Central do Brasil (BCB), Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Superintendência de Seguros Privados (Susep), Ministério da Fazenda, Ministério da Educação, Ministério da Previdência Social, Ministério da Justiça, Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA), Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg) e pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

Participam, ainda, da Semana Enef, órgãos como, os Procons estaduais, o Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF) e o Sebrae.

Bancos e cooperativas poderão fechar mais cedo em dias de jogo do Brasil

O Banco Central (BC) aprovou nesta quarta-feira a Circular 3.703 que dispensa as instituições financeiras, como as cooperativas do Sicoob, de funcionarem por pelo menos cinco horas por dia em dias de jogo da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014.

Nesses dias será obrigatório o expediente mínimo de quatro horas, sendo dispensado o cumprimento da regra em vigor, que prevê cinco horas de atendimento obrigatório e ininterrupto, conforme resolução da autarquia.

As instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo BC deverão afixar em suas dependências aviso sobre o horário de atendimento nos dias dos jogos, com antecedência mínima de dois dias úteis.

O governo federal descartou, na semana passada, a possibilidade de feriado nacional em dia de jogos do Brasil, mas decidiu que os servidores públicos federais serão dispensados a partir das 12h30. Pela Lei Geral da Copa, feriados municipais e estaduais devem ser decididos por cada ente da federação, e não pela União.

A abertura do Mundial acontecerá no dia 12 de junho e o Brasil jogará contra a Croácia em São Paulo, às 17h. Ainda pela primeira fase, em 17 de junho, a seleção brasileira jogará contra o México em Fortaleza, às 16h. Em 23 de junho, a partida será contra Camarões em Brasília, às 17h.

Sicoob reabre linha de crédito que antecipa restituição do IRPF

A partir deste mês o Sicoob reabre as contratações da linha de crédito que antecipa a restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). É possível antecipar, em média, até 80% do valor do crédito a ser restituído. A vantagem do Crédito Pessoal Sicoob Antecipação de Imposto de Renda são as taxas de juros que são muito competitivas em relação aos bancos de varejo, além da contratação simples e sem burocracia.

O crédito consiste no adiantamento do valor a ser restituído pelo contribuinte e o pagamento, em parcela única, é debitado em conta corrente no momento em que for creditada a restituição do imposto pela Secretaria da Receita Federal. Para solicitar a antecipação do crédito o cooperado deve ir a sua cooperativa de relacionamento, apresentar o recibo de entrega da declaração do IRPF com a indicação do Sicoob como instituição financeira para o recebimento da restituição e documentos pessoais.

A Receita Federal começou a receber, na semana passada, a declaração do IRPF 2014, ano-base 2013. O prazo vai até o dia 30 de abril deste ano, e quem perder terá que pagar multa de pelo menos R$ 165,74 pelo atraso, podendo chegar a 20% do valor do imposto de renda devido. A expectativa é que 27 milhões de contribuintes prestem contas com o Leão este ano, 1 milhão a mais que no ano passado.

Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, também recebem mais cedo as restituições do Imposto de Renda - caso tenham direito a ela. Idosos, portadores de moléstia grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade. Os valores começam a ser pagos em junho pela Receita Federal e se estendem até dezembro, normalmente divididos em sete lotes.

Bancoob e First Data anunciam parceria para atuação no mercado de adquirência

Comerciantes e profissionais liberais terão acesso às novas soluções de pagamento, com processos mais modernos, simples e confiáveis

O Bancoob, banco cooperativo integrante do maior sistema de cooperativas financeiras do país (Sicoob), e a First Data Corporation, líder global em soluções de processamento de pagamentos e comércio eletrônico, anunciaram hoje uma parceria para atuação conjunta no mercado brasileiro de adquirência, ainda no primeiro semestre de 2014.

A parceria entre as instituições resulta na combinação de duas forças que se somam e se complementam: de um lado o Bancoob, com sua forte experiência no mercado local e acesso, por meio das cooperativas do Sicoob, a mais de 2,5 milhões de cooperados, sendo 300 mil pessoas jurídicas, e de outro lado a First Data e sua liderança global em serviços avançados de processamento de pagamentos, com presença em mais de 34 países. A aliança trará ao país serviços de pagamentos eletrônicos mais modernos e simples disponíveis a todos os comerciantes e profissionais liberais do Brasil, participantes ou não do sistema cooperativo.

O Bancoob expandirá os serviços prestados às cooperativas financeiras e seus associados, que incluem comerciantes e varejistas. “A parceria vem incrementar os negócios das cooperativas, que poderão oferecer aos seus associados uma nova solução em serviços financeiros, em condições especiais. Assim, o Bancoob reforça seu compromisso com o desenvolvimento do cooperativismo financeiro no país”, ressalta Marco Aurélio Almada, Diretor-Presidente do Bancoob.

As chamadas ‘maquininhas de pagamento’ contarão com as soluções tecnológicas que fazem da First Data a líder mundial deste segmento, que continuará sediada em São Paulo (SP), e os serviços de adquirência do Bancoob, que manterá sua sede em Brasília (DF). A operação oferecerá cobertura nacional com portfólio completo e preços competitivos.

“O Brasil é um país de economia ágil, que passa por um crescimento de dois dígitos no mercado de pagamentos eletrônicos e possui um comércio bem estruturado e moderno, assim como o mercado de bens e serviços. Juntos, forneceremos aos comerciantes dos mais diversos segmentos, uma rede de pagamento confiável e segura, com soluções de processamento acessíveis, flexíveis e simples, com informações que lhes permitam aumentar sua competitividade e qualidade do serviço ao cliente”, explica Deborah Guerra, General Manager da First Data no Brasil. Segundo a executiva, a aceleração dos negócios de processamento de pagamento e credenciamento no mercado brasileiro são questões essenciais na estratégia de crescimento internacional da First Data.

A nova operação será iniciada com a aceitação de cartões das principais bandeiras, como MasterCard, Visa e Cabal, sendo que novas bandeiras serão acolhidas ao longo da parceria. Os comerciantes e varejistas contarão ainda com serviços de parcelamentos, pagamentos recorrentes, antecipação de recebíveis, monitoramento contra fraude, programas de fidelidade, serviço de recarga de celular, solução de conciliação financeira e portal de serviços.

Sobre o Bancoob

O Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob) é um banco comercial privado, especializado no atendimento a cooperativas financeiras. A instituição integra o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) e seu controle acionário pertence a entidades filiadas ao Sistema.  Além de preservar a autonomia e a liberdade operacional das cooperativas, sobretudo no que diz respeito à sua inserção no mercado financeiro, o Bancoob atua no sentido de agregar fatores de competitividade a essas instituições, por meio de produtos e serviços financeiros que lhes possibilitem um atendimento cada vez mais amplo e satisfatório aos associados. São subsidiárias do Bancoob as empresas Cabal Brasil, Bancoob DTVM e Ponta Administradora de Consórcios. O Bancoob também é fundador e patrocinador da Fundação Sicoob Previ. Juntas essas empresas viabilizam soluções financeiras nos segmentos de cartões, fundos de investimento, consórcios e previdência.

Sobre o Sicoob

O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) possui mais de 2,5 milhões de associados em todo o país e está presente em 23 estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 500 cooperativas singulares, 15 cooperativas centrais, a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação) e o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias. A rede Sicoob é a sexta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 2,2 mil pontos de atendimento. As cooperativas inseridas no Sistema oferecem um amplo portfólio de produtos e serviços para seus associados, incluindo o acesso a recursos para empréstimos em geral e investimentos, tanto para pessoas físicas como jurídicas, em condições mais acessíveis.

Sobre a First Data

Ao redor do mundo, a cada segundo de cada dia, a First Data faz operações de pagamento de forma segura, rápida e fácil para os comerciantes, instituições financeiras e seus clientes. A First Data aproveita sua vasta carteira de produtos e experiência para gerar receita de cliente e lucratividade. Seja a opção de pagamento por cartão de débito ou cartão de crédito, cartão presente, cheque ou telefonia móvel, online ou no caixa.

Sicoob estará representado no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira

A partir desta segunda-feira (4) até quarta-feira (6), acontece, em Fortaleza (CE), o "V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira". O evento, que acontece anualmente, terá transmissão ao vivo, pela internet, e tem como objetivo debater a importância da educação, proteção e inovação para uma inclusão financeira de qualidade.

Durante três dias, representantes de instituições financeiras, do setor educacional, de organismos governamentais, operadores de microfinanças e fomentadores de educação financeira vão discutir as melhores formas de inclusão financeira. Preocupa o fato de o endividamento das famílias com o sistema bancário ter aumentado constantemente, chegando a 45,36% em setembro, segundo dados do BC.

O presidente do Sicoob Confederação e Coordenador do Conselho Consultivo de Crédito do Sistema OCB, José Salvino de Menezes, estará no evento e será um dos debatedores. Ele participará da mesa 3, que terá como tema "O Papel das Instituições não Bancárias na Promoção da Inclusão Financeira", na terça-feira (5), às 15h30. No mesmo dia, às 12h30, representando também o Sistema, Ênio Meinen, diretor de Operações do Bancoob, participará do debate da mesa 2, intitulado "Acesso dos Microempreendedores e das Micro e pequenas Empresas a Serviços Financeiros".

Durante o Fórum do BC, acontecerão atividades paralelas, como o lançamento do quinto volume do livro Serviços Financeiros, da coletânea Pequenos Negócios – Desafios e Perspectivas, do Sebrae. José Salvino de Menezes foi convidado para escrever um dos capítulos da obra, intitulado "O papel do cooperativismo de crédito para impulsionar os pequenos negócios". Assinam também outros capítulos da publicação, Marco Aurelio Borges de Almada Abreu, presidente do Bancoob, com o tema “O cooperativismo de crédito e as soluções financeiras para as MPEs”, e Ênio Meinen em parceria com Márcio Port, o capítulo “Cooperativismo financeiro e o desenvolvimento local e regional”.

Assista aos debates, ao vivo, pela internet. Confira a programação (horário oficial de Brasília) e o link para transmissões:

 

Dia 04/11

Atuação em Rede para Educação Financeira no Brasil

18h25 – participação do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.

http://canalcooperativo.com.br/bancocentral1/

 

Dia 05/11

Acesso dos Microempreendedores e das Micro e pequenas Empresas a Serviços Financeiros

12h30 - participação de Ênio Meinen

Link: http://canalcooperativo.com.br/bancocentral2/

 

Dia 05/11

Papel das Instituições não Bancárias na Promoção da Inclusão Financeira

15h30 – participação de José Salvino de Menezes.

http://canalcooperativo.com.br/bancocentral2/

 

06/11

O Desafio de Educar na Oferta de Crédito

12h - participação do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.

http://canalcooperativo.com.br/bancocentral1/

 

Mais informações, veja o site oficial do evento: http://www.bc.gov.br/?VFORUMINCFINANC

JoomShaper