Fórum do Banco Central discute Educação Financeira

A educação financeira e a proteção ao usuário de serviços financeiros foi tema de painel hoje durante o IV Fórum do Banco Central sobre Inclusão Financeira. Os palestrantes defenderam a educação financeira como mecanismo indutor do crescimento econômico e desenvolvimento social dos cidadãos e dos locais de atuação das instituições financeiras. “É preciso que as pessoas estejam interadas sobre a importância da educação financeira”, ressaltou o presidente da Associação Brasileira de Educação Financeira, Murilo Portugal.

Os painelistas destacaram o cenário de expansão na oferta de crédito no país realizada por meio de políticas de redistribuição de renda promovidas pelo governo e pela expansão da rede de atendimento de serviços financeiros. Foram expostos ainda projetos do governo em parceria com a associação que têm o objetivo de apoiar a estratégia nacional de educação financeira lançada pelo governo em 2010. “Programas pilotos estão sendo realizadas em escolas, a fim de proporcionar a base da educação financeira para crianças e jovens. Buscamos atingir também mulheres que participam do programa bolsa família, e aposentados”, completa Portugal.

Foram apresentados também os mecanismos de defesa do consumidor de serviços financeiros e os principais desafios do Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) entre eles o combate às assimetrias de informações, prevenção de conflitos, monitoramento de risco de endividamento das famílias, inclusão financeira sustentável, novas tecnologias, entre outros.

No final do dia aconteceu o lançamento do aplicativo “Calculadora do Cidadão”, que permite a simulação de aplicações com depósitos regulares e de financiamentos com prestações fixas, a correção de valores com base em diversos indicadores econômicos e o cálculo de valores futuros de um capital. O aplicativo está disponível para aparelhos iOS e Android. O serviço também é disponibilizado desde 1999 no site do Banco Central do Brasil.

Para acessar a Calculadora do Cidadão no site do Banco Central, basta acessar www.bcb.gov.br, clicar no “Perfil Cidadão” e escolher a opção “Taxas de juros, cálculos, índices e cotações”.

Mobile payment é tema de discussão do Fórum do Banco Central

O Fórum do Banco Central apresentou esta tarde um painel sobre pagamentos móveis (Mobile payment) onde foi exposto um panorama dos serviços móveis no Brasil. Os painelistas destacaram a necessidade de criação de uma regulamentação dos serviços móveis, o que contribuiria no processo de inclusão financeira. Foi consenso a defesa de um marco legal para o serviço e a necessidade de padronização técnica. Foram apontados ainda dois cenários para o novo serviço - a inclusão bancária fomentada pelo governo e a criação do canal digital para melhoria de pagamentos. Os participantes defenderam ainda os benefícios da regulamentação para o sistema financeiro nacional por meio de princípios de uma proposta de modelo brasileiro de pagamentos móveis como a agilidade, segurança, inclusão e baixo custo.

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Aldo Mendes, disse que o marco regulatório sobre arranjo de pagamentos, incluindo pagamentos móveis, será uma legislação "genérica", um guarda-chuva que dará poderes a outros órgãos, que vão fazer o detalhamento. Mendes disse ainda que as "instituições de pagamento", como operadoras de celular, precisarão de licença do BC para fazer essas operações, assim como já ocorre com as instituições financeiras.

Cooperativas de crédito terão destaque especial em fórum do BC

Dirigentes do Sicoob, participarão, entre os dias 29 e 31 de outubro, do “IV Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira”. Promovido pelo Banco Central (BC), o evento tem como objetivo apresentar e discutir o desenvolvimento das ações do Plano de Fortalecimento do Ambiente Institucional, no âmbito da Parceria Nacional para Inclusão Financeira, lançado em maio deste ano.

Evento realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o Fórum também trará para discussão a atuação das cooperativas de crédito, como forma de comemorar o Ano Internacional das Cooperativas, declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU), celebrado em 2012. Como homenagem o BC lançará moeda comemorativa em prata, que poderá ser adquirida durante o evento e posteriormente nas regionais da instituição, bem como no site do Banco do Brasil.

Para a abertura, no dia 29, estão previstas as presenças da presidente da República, Dilma Rousseff, do presidente do BC, Alexandre Tombini, e dos ministros das Comunicações, Paulo Bernardo, e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Estratégias para ampliar o acesso da população brasileira aos produtos e serviços do mercado financeiro e pagamentos móveis (mobile payment) serão alguns dos assuntos debatidos ao longo dos três dias de evento, que contará com a presença de representantes do governo, segmento de microfinanças, estudiosos e fomentadores, nacionais e internacionais.

Dentre os temas que serão abordados nos paineis, estão “Ano internacional das cooperativas: perspectivas para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo” e “Sistema de proteção e fortalecimento do cooperativismo de crédito: o fundo garantidor nacional das cooperativas de crédito”, no primeiro com a participação de José Salvino de Menezes como presidente do Sicoob Confederação e no segundo como coordenador do Conselho Consultivo de Crédito (Ceco) da OCB.

Museu de Valores do Banco Central comemora 40 anos com exposição

Em comemoração aos 40 anos do Museu de Valores, o Banco Central inaugurou uma exposição em seu edifício-sede em Brasília (DF), em solenidade realizada na noite desta quinta-feira (13/9). A mostra selecionada apresenta uma retrospectiva das principais atividades desenvolvidas pelo Museu ao longo de seus quarenta anos de existência, mesclando peças raras e importantes de seu acervo, algumas nunca expostas ao público, com curiosidades e informações, informou a autoridade monetária.

Entre as peças originais estão painéis produzidos pelo cartunista Millôr Fernandes e desenhos de Ziraldo. A exposição também homenageia o designer brasileiro Aloísio Magalhães, que dentre seu vasto trabalho, é o autor da logomarca do Banco Central do Brasil, de seu programa de identidade visual e projetista de cédulas emitidas nos anos 70, cujos esboços de próprio punho, segundo o BC, também poderão ser vistos.

A exposição poderá ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30. Aos sábados, domingos e feriados cívicos o horário é das 14h às 18h.

Fonte: G1

Febraban lança aplicativo gratuito para controle de despesas no celular

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lançou na última terça-feira, 4 de setembro, um aplicativo para celulares que possibilita aos usuários o controle dos gastos fixos e mensais, recebimento de alertas sobre a data de pagamento das contas além de aviso quando entra no vermelho.

Batizado de “Jimbo Mobile”, ele é gratuito e atua como um software de gestão financeira. Para baixar o aplicativo, o interessado deverá acessar o 'Google Play' do celular ou no computador e buscar o aplicativo 'Jimbo Mobile'. O aplicativo da Febraban só pode ser baixado em celulares com plataforma Android.

A versão do Jimbo para computadores existe desde 2011 e pode ser baixada, também gratuitamente, pelo site MeuBolsoemDia. A ideia da Febraban com o lançamento da versão móvel é facilitar o controle dos gastos logo após as compras, permitindo ao consumidor manter um controle mais preciso do seu orçamento. Possibilidade valiosa, já que as despesas pequenas não contabilizadas são muitas vezes as culpadas por deslizes financeiros.

BC lança moeda comemorativa ao Ano Internacional das Cooperativas

Na última quinta-feira, 26 de julho, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o lançamento da moeda comemorativa do Ano Internacional das Cooperativas, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Inicialmente serão cunhadas 3.500 unidades, podendo-se atingir o limite máximo de 10 mil moedas. Após o lançamento, previsto para outubro deste ano, as moedas poderão ser adquiridas nas regionais do Banco Central (BC) ou no site do Banco do Brasil.

Cunhada em prata, a moeda comemorativa apresentará a logomarca oficial do Ano Internacional das Cooperativas e o slogan: “Cooperativas constroem um mundo melhor”.

O cooperativismo, de acordo com dados do BC, reúne aproximadamente 1 bilhão de pessoas em mais de 100 países, sendo responsável pela geração de 100 milhões de empregos. Ao instituir o ano de 2012 como Ano Internacional das Cooperativas, a ONU visa promover o cooperativismo como instrumento de desenvolvimento socioeconômico, redutor da pobreza.

No Brasil, ainda segundo o BC, há 6.586 cooperativas e aproximadamente dez milhões de cooperados, em 13 diferentes ramos de atuação do setor. O lançamento da moeda comemorativa em homenagem ao Ano Internacional das Cooperativas é um reconhecimento da importância da iniciativa da ONU e também uma forma de ampliar a visibilidade e a conscientização a respeito dos benefícios do cooperativismo.

JoomShaper