• 0_0_0_Blog_TopoBannerWeb_Efinance2017_1170x300px.jpg
  • 0_0_pmkt_janeiro_1300x495px.jpg
  • 0_1_banner_revisa.jpg
  • 0_2_blog_facaparte.jpg

As cooperativas de crédito planejam desacelerar seus investimentos em expansão física no país e deverão ampliar os aportes em sistemas de tecnologia neste ano.

O Sicoob, sistema que reúne 3,6 milhões de associados, prevê alocar R$ 263 milhões em tecnologia da informação - de armazenamento de dados a plataformas de atendimento aos clientes.

O Sicredi, que têm 3,5 milhões de usuários, planeja investir R$ 287 milhões na área, em melhorias no serviço por aplicativo de celular, no sistema de cadastro e na mudança dos softwares internos da companhia -valor 80% maior que em 2016.

"A ideia não é se tornar um banco digital, mas esse será nosso principal foco neste ano", diz o diretor financeiro da instituição, João Tavares.

As regiões Norte e Nordeste deverão ampliar sua participação no cooperativismo.

"São localidades menos assistidas pelos bancos, onde há menos concorrência. Em algumas cidades, somos a única instituição financeira", afirma o presidente do Sicoob, Henrique Castilhano Vilares.

O objetivo da instituição é que as áreas, que hoje são 10% do negócio, passem a representar 15%.

Em todo o Brasil, o Sicoob pretende abrir entre 100 e 120 unidades -contra 171 novas agências no ano passado.

O Sicredi incorporou, em 2015, 26 cooperativas do Norte e do Nordeste, mas a integração operacional ainda está em curso, segundo Tavares. As regiões detêm cerca de 7% dos ativos do sistema.

"A expansão física nessas localidades, porém, será feita só em 2018, quando a incorporação estará completa."

 

 

Fonte: Folha de São Paulo

JoomShaper